Quinta dos Murças

10 factos que tornam a Quinta dos Murças única

10 factos que tornam a Quinta dos Murças única

1. Localização
Situa-se na margem direita do rio Douro, entre a Régua e o Pinhão, no início da sub-região do Cima Corgo.
2. Território
São 155 hectares de montes e vales, dos quais 48 são de vinha, com 3,2km de frente de rio.
3. Primeira Vinha ao Alto do Douro
Tem a primeira vinha ao alto plantada no Douro, em 1947. A Quinta sempre esteve muito ligada ao desenvolvimento e experimentação nesta que é a região demarcada mais antiga do mundo, sendo esta vinha um marco disso mesmo.
4. Verticalidade
Cerca de 82% das vinhas estão plantadas na vertical em grandes declives, que permitem uma maior densidade de plantação, uma produção mais equilibrada e um sistema radicular mais profundo, que se reflectem numa melhor expressão do seu terroir.
5. Diferentes Altitudes
Possui uma orografia muito acentuada com vinhas plantadas a diferentes cotas (dos 110 aos 300 metros), com diferentes exposições, que se traduzem em diferentes micro-climas.
6. Oito Tipos de Solos
Foram identificados oito tipos de terroirs distintos nos 48 hectares de vinha.
7. Vinha em Produção Biológica
Toda a Quinta está em Modo de Produção Biológica, desde Novembro de 2016, de forma a produzir a favor da terra, dos produtos e das pessoas.
8. Minas de Água
Existem cinco minas de água espalhadas pelas vinhas que ajudam a refrescar o ambiente, devolvendo água e equilíbrio às uvas mais expostas ao sol.
9. Biodiversidade
Grande parte da Quinta ainda se mantém no seu estado mais selvagem. As manchas de bosquetes e matos contribuem para a resiliência do agro-ecossistema e permitem que as áreas de produção intercomuniquem com as áreas de conservação, de forma a exponenciar o equilíbrio ecológico da Quinta como um todo.
1 / 7
2 / 7
3 / 7
4 / 7
5 / 7
6 / 7
7 / 7
10. Arquitectura & História
Na Quinta encontram-se alguns marcos relevantes: a Casa Principal, construída sobre o Rio Douro, no início do séc. XIX, e restaurada no último ano, as Ruínas de Vale Figueira de 1826 e a Estação de Comboios de Covelinhas, mesmo ali à porta, onde passa o histórico comboio do Douro.
1 / 2
Estação de Covelinhas
2 / 2
Lagares, antes e depois
A combinação desta diversidade de factores, associada aos processos de vinificação usados, privilegiam o carácter original dos frutos, resultando em vinhos de terroir concentrados, elegantes e de grande frescura.