Douro

Terroir e Vinhas

Terroir e Vinhas

A Quinta dos Murças desfruta de um terroir único no Douro, fruto da aliança de uma geografia rara de um vale amplo que corre de este a oeste, um clima muito particular amenizado pela longa frente do rio Douro, uma matriz de solos sob múltiplas exposições proporcionadas pela orografia e, tão importante, pelas vinhas enriquecidas por dezenas de castas autóctones. Na quinta, os solos extremamente pobres compostos por xistos conseguem suportar um património de dezenas de castas regionais, ao beneficiar de muitas horas de sol. Na actualidade, 7ha já se encontram em processo de certificação biológica e pretende-se que o número aumente rapidamente.

Todas as parcelas são consideradas como letra A, a categoria máxima a que as vinhas podem aspirar na região do Douro, ocupando zonas com 300 m de altitude e zonas mais próximas da ampla frente de rio, alternando entre a plantação ao alto, de que a Quinta dos Murças foi pioneira, e os patamares, segundo o método mais clássico do Douro. As vinhas ao alto são utilizadas nas encostas que apresentem um declive até aos 35% de inclinação, com talhões desnivelados por taludes em terra e estradas de trabalho. Nas encostas com declives mais pronunciados, optou-se pela construção de patamares estreitos com um bardo, apresentando apenas uma linha de vinha.

Algumas das vinhas velhas remontam aos anos 40 (com a mais antiga plantada em 1947), por regra em vinhas misturadas, alternando com vinhas jovens que se dividem em dezenas de castas típicas do Douro. Entre as mais representativas e representadas encontram-se a Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão e Tinta Barroca, as 5 castas recomendadas para a produção de vinhos de excelência, bem como as cada vez mais requisitadas Tinta Amarela e Tinta Francisca. Dos 58 ha de vinha plantada na Quinta dos Murças aproximadamente 10% têm uma idade ligeiramente acima dos 65 anos, 60% têm entre 25 a 40 anos de idade e os restantes 30% foram plantados mais recentemente, entre 2009 e 2010.

Nas vinhas com mais de 60 anos de idade, com cerca de 5 hectares, não é aplicado qualquer herbicida para controlo de infestantes, sendo esse controlo assegurado de forma manual. Curiosamente existem dois núcleos de vinhas velhas, uma situada a cerca de 80m de altitude e a outra a cerca de 300m de altitude. Dos 30% de área de vinha nova, 5ha estão em produção biológica. Na restante área de vinha foi abolido o uso de herbicidas residuais, aplicando-se unicamente herbicidas de contacto na linha de plantação.

terroir e vinhas