Gastronomia

Chef Pedro Pena Bastos a abrir o Apetite dos Críticos

Chef Pedro Pena Bastos a abrir o Apetite dos Críticos

Na semana passada, o chef do Restaurante Esporão foi destacado em duas importantes publicações. O site internacional Food Republic e o blogue português Mesa Marcada passaram pelo nosso restaurante e entrevistaram o chef Pedro Pena Bastos.

A jornalista Judy Cantor-Navas e o artista espanhol David Navas estiveram à conversa com Pedro Pena Bastos sobre o seu percurso, o restaurante, gastronomia e o Alentejo. David Navas, registou esta visita através de uma fantástica ilustração (aqui, no topo do artigo). No seu desenho final, aparecem os retratos de três chefs portugueses nos seus restaurantes: Henrique Sá Pessoa no Alma, José Avillez no Belcanto e Pedro Pena Bastos no Restaurante Esporão.

O artigo destaca ainda o pão, bem crocante, e a manteiga envelhecida inspirada em memórias que o chef guarda da sua avó:

“A minha avó deixava a manteiga fora do frigorífico,” explica Pedro Pena Bastos. “Após três ou quatro dias, começava a ganhar um sabor a queijo. Enquanto criança, isso fascinava-me. O meu objectivo era replicá-lo.”

manteiga azeda
No artigo do Mesa Marcada, Miguel Pires faz um registo mais pessoal da sua experiência no restaurante. “Uma das refeições do ano no Esporão. Fixem este nome, vai dar que falar: Pedro Pena Bastos.” é o título que serve de introdução ao artigo que começa por falar do percurso profissional do chef do Esporão.

“Faz algum tempo que acompanho à distância o que este jovem chefe de 25 anos vem fazendo, desde que há um ano e meio se mudou para o Alentejo (…) Antes do Esporão, o Pedro passou por restaurantes de topo, como o Belcanto (Lisboa) ou o Ledbury (Londres) – ambos com 2 estrelas Michelin – e teve uma breve passagem pelo Grémio Literário (já como chefe) e por um projecto próprio, A Revolta do Palato, empresa tipo “chef ao domicilio” que formou com a Teresa.”

pao e manteiga restaurante esporao
As fotografias que o chef publica com grande frequência chamaram à atenção do jornalista e a curiosidade levou-o até Reguengos de Monsaraz, para provar os muitos pratos que seguia atentamente no Instagram do chef.

“É certo que por vezes o olhar engana e o que parece atraente desvanece na prova. Porém, quando há pouco mais de uma semana apontei a sul tinha um feeling de que não ia ao engano.”

Da refeição, Miguel Pires, começa por destacar exactamente o pão e a “incrível” manteiga envelhecida, tal como no artigo da Food Republic. Da manteiga aos pratos, as expectativas não foram defraldadas e os elogios ao chef não faltaram. Desde a qualidade dos pratos que apresenta, à maturidade e segurança que revela: “ (…) revela uma maturidade e uma segurança pouco comuns para um chefe de apenas 25 anos. A sua cozinha não é disruptiva, nem tem que ser – até porque o Esporão não é propriamente um produtor de vinhos underground. Contudo, os seus pratos revelam criatividade, audácia, sensibilidade e profundidade de sabor e, nas conjugações, reina uma harmonia quase sempre com um toque desafiante à espreita”.

Pode ler os artigos aqui:

Meet the chefs behind Portugal’s Thriving Restaurant Scene, Part II‘, por , em Food Republic

Uma das Refeições do Ano no Esporão. Fixem este nome, ele vai dar que falar: Pedro Pena Bastos‘, por Miguel Pires, em Mesa Marcada