Terracota no Douro – História do Quinta dos Murças Ânfora

Terracota no Douro – História do Quinta dos Murças Ânfora

Todos os anos, na Quinta dos Murças experimentamos novas metodologias procurando outras interpretações dos nossos terroirs, procurando diferentes expressões do carácter e natureza deste local privilegiado, na margem direita do rio Douro.

Foi assim que nasceu a ideia de vinificar em ânforas de terracota, que apresentam características muito particulares. A intervenção da terracota é muito própria e os vinhos assim vinificados apresentam uma fruta muito evidente e uma sensação de frescura reforçada. Escolhemos as vinhas do Quinta dos Murças Minas pela presença de água que se reflecte em mais acidez, algo que queríamos evidenciar. Em termos de vinificação as uvas foram colocadas quase inteiras dentro da ânfora e deixadas vários dias até fermentarem espontaneamente. O enólogo José Luís Moreira da Silva acrescenta: “Depois da fermentação foram deixadas até praticamente Novembro, altura em que foi feita uma tiragem a limpo, as massas foram prensadas e voltou tudo para a ânfora até Maio, quando o vinho foi engarrafado.”
1 / 3
2 / 3
3 / 3

Fazer um vinho em ânforas é acima de tudo um exercício de contenção, de resistir à tentação de intervir. A forma mais segura de vinificar é adicionar sulfuroso e controlar o que está a fermentar, mas um vinho em ânfora exige que o processo se desenrole da forma mais natural possível. “Claro que é um vinho com notas mais incomuns, mas apresenta características e uma identidade muito próprias.”

A inovação faz sempre mais sentido quando está alicerçada na sabedoria do passado, permitindo reinterpretar a história que queremos contar. O recurso a ânforas para armazenar vinho já existia em civilizações remotas – Gregos, Romanos e Etruscos que usavam terracota para guardar o fruto das suas vindimas.

Impruneta, na região italiana da Toscânia, é um município italiano com uma terracota de excelente qualidade, reconhecido mundialmente desde a Renascença. Foi precisamente nesta cidade que foi criada a ânfora usada no Quinta dos Murças Ânfora, que dão origem a uma surpreendente harmonia entre vinho e natureza.

“Tanto na origem, onde na a vinha biológica procura restabelecer o equilíbrio natural, como na adega, em que procuramos intervimos o mínimo possível ao longo do processo, o Ânfora é uma expressão fiel da nossa interpretação do que são as nossas vinhas.”

O Quinta dos Murças Ânfora é o nosso primeiro DOC Douro vinificado em ânfora, uma edição ligada à terra de onde nasce, limitada a apenas 800 litros e disponível em exclusivo nas lojas de Enoturismo da Quinta dos Murças e da Herdade do Esporão. Prová-lo é conhecer um vinho que compreende quem somos, de onde vimos e para onde vamos.