Esporão Private Selection Tinto 2016: a soma de muitos detalhes

Esporão Private Selection Tinto 2016: a soma de muitos detalhes

Após cinco anos de estágio nas caves da Herdade do Esporão, está pronta a nova colheita do Esporão Private Selection 2016, com rótulo de António Poppe.

O Esporão Private Selection Tinto foi lançado pela primeira vez em 1987. Ainda com o nome “Garrafeira” tornou-se num símbolo da excelência e qualidade dos nossos vinhos e uma referência do Alentejo.

É um vinho exclusivo, feito de uma soma de muitos pequenos detalhes e de cuidados extremos. Ao longo de várias décadas, fomos evoluindo o seu perfil de forma segura e consistente. Hoje o Private Selection é um vinho alentejano reconhecido tanto em Portugal como no mundo. Um clássico que, nas colheitas mais extraordinárias, dá origem ao Torre do Esporão.

TRÊS ORIGENS

A sua identidade reflecte de forma fiel a diversidade e riqueza dos nossos diferentes territórios alentejanos: a Herdade do Esporão, a Herdade dos Perdigões, também em Reguengos de Monsaraz e agora, pela primeira vez, Lavradores, em Portalegre.

Da Herdade do Esporão, a nossa casa-mãe selecionamos a casta Touriga Franca da vinha do Rochedo e o Aragonez da vinha do Canto do Zé Cruz – vinhas plantadas em solos graníticos com transição para xisto, predominantemente pobres. São estas uvas que nos oferecem a estrutura e a intensidade que formam a base da identidade deste vinho.

A cerca de 5km da Herdade do Esporão, encontramos a Herdade dos Perdigões. Da vinha das Palmeiras – uma vinha com solos argilosos e profundos -, obtemos a textura através da fruta madura e até alguma compota, característica da casta Alicante Bouschet.

Em Portalegre, a cerca de 110km da Herdade do Esporão, situa-se a propriedade de Lavradores. Aqui, encontra-se a vinha do Machuguinho. Localizada a 400m de altitude, com uma temperatura média inferior em 2ºC e mais 290mm de chuva comparativamente com Reguengos de Monsaraz, esta vinha caracteriza-se pelos solos graníticos, abertos e com maior disponibilidade de água. Aqui predomina a casta Alicante Bouschet, que pelas características da sua origem conferem vida, longevidade e vitalidade ao vinho. O complemento ideal às uvas provenientes da Herdade do Esporão e dos Perdigões.

1 / 6
2 / 6
3 / 6
4 / 6
5 / 6
6 / 6
A vinificação ocorre consoante o potencial de cada origem e casta. O Aragonez iniciou a sua fermentação em lagares de mármore com pisa a pé, seguindo-se um estágio em cubas de betão, onde fez a fermentação malolática e terminou a sua vinificação em balseiros de 5000 litros.
A Touriga Franca fermentou em lagares de mármore com pisa a pé, após prensagem, fez o seu estágio em barricas de 500 litros de carvalho francês, onde também fez fermentação malolática e permaneceu por 18 meses.

Ambos os Alicante Bouschet fermentaram em cubas de betão e fizeram fermentação malolática em barricas novas de carvalho francês de 500 litros, onde permaneceram mais 18 meses.

Estes factores, aleados às características do ano de colheita resultam num vinho completo, com textura, intensidade e vitalidade. Um vinho que demonstra a diversidade e riqueza dos territórios onde estamos presentes.
1 / 5
2 / 5
3 / 5
4 / 5
5 / 5