Vinhos

Esporão Private Selection: de inovador a clássico

Esporão Private Selection: de inovador a clássico

De Garrafeira a Private Selection
Em 1992, produzíamos dois vinhos de grande qualidade na Herdade do Esporão – Esporão Reserva e Garrafeira Tinto. Na altura, o Garrafeira era um vinho de qualidade superior mas, apesar de ser um vinho feito a partir das melhores barricas do lote de Reserva, as suas características não correspondiam à ‘imagem’ passada e ao seu próprio nome.

“O nome Garrafeira dava a ideia de que o seu potencial de envelhecimento também era superior ao Reserva, o que não se verificava na altura. Quando cheguei à Herdade e engarrafei o vinho, percebi o seu potencial. Tinha características de garrafeira mas podíamos torná-lo mais estruturado e melhorar o seu envelhecimento” David Baverstock

O primeiro passo para essa mudança começou na vinha. Depois de algumas experiências, para conseguirmos um vinho mais forte, firme e estruturado precisávamos de uma boa base e, por isso, plantámos as castas Syrah e Alicante Bouschet.

Os anos que se seguiram foram de grande trabalho e evolução na vinha e adega. O ano de 1999 foi de transição e, em 2000, já com as vinhas com quatro, cinco anos, conseguimos apresentar um novo vinho nascido do Garrafeira – o Esporão Private Selection.

“O nome não estava a ajudar a transmitir a mensagem que queríamos, principalmente para os mercados de exportação. Queríamos mostrar que este era um vinho especial, exclusivo, com qualidade e feito através de uma selecção cuidada de uvas. Achámos que ‘Private Selection’ passava isso mesmo e, internacionalmente, facilitava a comunicação”.
Depois da alteração do nome e de melhorarmos o trabalho na vinha, precisávamos de uma nova adega. Em 2000, construímos a Adega dos Lagares que nos trouxe as condições que precisávamos para fazer um Private Selection Tinto de qualidade. O vinho tinha como base uvas com uma maior concentração e a nova adega ajudou a tornar a vinificação mais intensa e pormenorizada.  

Inicialmente, o Esporão Reserva e o Private Selection envelheciam ambos em barricas de carvalho americano. Hoje, a sua maturação é distinta. As castas continuam a ser vinificadas em separado mas no Private Selection são utilizadas barricas novas de carvalho francês. A diferente maturação, confere ao vinho  uma madeira mais evidente, tornando-o intenso com corpo para absorver e aguentar a madeira.

Após dois anos de estágio – primeiro em barricas, depois em garrafa – no nariz, predomina a fruta negra com ligeiros apontamentos de fumo e especiarias. Na boca é rico, equilibrado, com boa acidez e taninos finos. O final, é longo e persistente.

1 / 3
David Baverstock
2 / 3
Esporão Private Selection Tinto 2011
3 / 3
Um Branco Singular no Alentejo
A história do Esporão Private Selection Branco é especial.
Para fazermos um vinho branco marcante no Alentejo, tínhamos de arriscar e, por isso, o nosso enólogo David Baverstock trouxe a casta Sémillon para a Herdade do Esporão. Uma casta francesa que ainda hoje não existe em muitos lugares. Em Bordéus, produz os melhores vinhos brancos e é conhecida por fazer vinhos mais doces, como o nosso Late Harvest, que acabámos, mais tarde, por também fazer com esta casta. No Alentejo fomos pioneiros e, hoje, temos uma das mais velhas vinhas de Sémillon em Portugal.

“Tive muita sorte e liberdade para arriscar e fazer experiências na vinha. Já tinha muita experiência com esta casta. É uma casta icónica da minha região na Austrália, Barossa Valley, e, por isso, conhecia-a muito bem. Aqui, o clima é muito parecido e eu soube logo que a casta se iria adaptar bem ao calor alentejano. Este conhecimento permitiu-me antever como viria a ser o vinho, sabia que iria ter estrutura para fazer uma fermentação em barricas de carvalho francês e ter uma melhor evolução em garrafa”.

Confirmou-se a previsão e a casta adaptou-se muito bem ao nosso solo e ao nosso clima. Nos primeiros anos, o vinho teve os seus altos e baixos. Começou por sair mais exótico o que levou a que tivesse um grande sucesso no mercado do Brasil que não estava muito habituado a brancos e via neste branco “quase um tinto”.

1 / 2
Esporão Private Selection Branco 1987
2 / 2
Mais tarde, tentámos alterar esse perfil de boca para um com maior concentração na fruta. Trabalhámos numa melhor intervenção na vinha, a fim de reduzir essa doçura, e ao longo dos anos o vinho foi-se aperfeiçoando.

Hoje, as vinhas com mais de 25 anos, o melhoramento do trabalho no campo e a evolução da adega – novas barricas com formatos maiores (500L) que ajudam numa melhor integração da madeira – permitem-nos ter as condições que necessárias para produzir um vinho com a qualidade do Private Selection.

Toda a sua história, resulta hoje num vinho singular entre os brancos do Alentejo. De aroma complexo e equilibrado com notas de toranja, compota fresca de alperce, e notas discretas da tosta da barrica. Na boca é rico, elegante, com um profundo e persistente final.

Para beber logo ou para esquecer na garrafeira e abrir mais tarde.