Integrado na paisagem tranquila da Herdade do Esporão, o restaurante abre-se ao exterior, aproveitando materiais locais para definição arquitectónica do espaço, privilegiando a autenticidade e o conforto dos visitantes. Na parede principal do restaurante, e por todo o edifício, pode admirar os quadros originais que ilustram alguns dos rótulos que adornam as garrafas da Herdade do Esporão desde 1985.

Até dia 1 de Janeiro, o restaurante encerra, temporariamente, para obras de melhoria a efectuar nas actuais instalações do Enoturismo, reabrindo com um novo conceito.

Os Espaços

Esplanada

A ampla esplanada do restaurante da Herdade do Esporão termina onde começa a vinha, permitindo-lhe desfrutar de uma vista desafogada sobre o lago. Ideal para aproveitar os longos dias soalheiros do Alentejo para refeições ao ar livre e a tranquilidade de uma paisagem que se estende até ao perder da vista.
Aberta para almoços entre as 12h e as 15h

Jardins

As esplanadas do Restaurante, da Sala dos Petiscos e da Loja possibilitam uma ligação única tanto com a paisagem da albufeira e vinha, como com a adega de produção.

Na continuidade do edifício, o pátio e o jardim envolvente são lugares de frescura e serenidade. Espaços onde a sazonalidade hortícola e floral impera, concedendo as tão desejadas sombras no Verão e potenciando e ampliando a luz de Inverno por reflexão num espelho de água.

O jardim é limitado por um pórtico onde se instalam “casas de fresco” construídas com grelhagens de tijolo e um percurso deambulatório que se encontra em contacto ora com a paisagem contígua do jardim, ora com a vinha, albufeira e serra.

Horta

A gastronomia rica do Alentejo assenta na qualidade dos produtos simples mas frescos da terra, ligando o terroir aos sabores intemporais das verdadeiras receitas alentejanas. A qualidade dos ingredientes é decisiva para os sabores autênticos da cozinha, por isso, plantaram-se duas hortas onde são cultivados os produtos sazonais da região. Ali encontra legumes, frutos, verduras, e ervas aromáticas.

Na cozinha, dá-se asas à criatividade usando elementos do ciclo vegetativo das plantas cultivadas.